segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Pocotó, pocotó.

"Se a gente perder hoje, o Fantástico vai botar nosso cavalinho na lama e chamá-lo de cavalo paraguaio..."

A frase de meu irmão, na arquibancada, dá a exata dimensão da importância da vitória sobre o Botafogo para o Flamengo. Mesma importância dos triunfos de São Paulo, na véspera, do Grêmio e do Cruzeiro. Ou seja, apenas o cavalinho do Palmeiras perdeu terreno na rodada.

É esse Palmeiras que vem ao Rio, na próxima rodada, enfrentar justamente o Flamengo, num jogo decisivo para os planos de ambos com relação à Libertadores do ano que vem. Isso porque o páreo ficou assim:

São Paulo 65
Grêmio 63
Cruzeiro 61
Palmeiras 61
Flamengo 60

Na próxima rodada, o São Paulo recebe o Figueirense (penúltimo, mas a apenas dois pontos do primeiro fora da zona do rebaixamento); o Cruzeiro vai a Recife encarar o Náutico (primeiro da zona, com os mesmos 37 pontos de Flu e Vasco, que pularam fora) e o Grêmio joga em casa contra o Coritiba (que já está de férias).

Eu até acertei três das quatro previsões para a rodada passada mas, para esta, é bem mais complicado prever o que pode acontecer.

Afinal, se o São Paulo parece ter tarefa fácil diante do Figueira, pode acabar se complicando contra um time desesperado para não cair - como quase se complicou com a Lusa. Que dizer então do Cruzeiro, que joga mal fora de casa e pega um Náutico doido pra escapar da degola? O jogo do Maracanã é absolutamente imprevisível pois se o Palmeiras vem com o moral baixo, o Flamengo continua jogando mal demais.

Diante do que fez no Palestra, ontem (mesmo com um gol meio sem querer), arrisco dizer que só o Grêmio deve passar sem problemas pela 35ª rodada. Quem vai ficar pelo caminho, só Deus sabe. Ou nem Ele.

* * *

Eu não quero e não vou falar especificamente de Botafogo x Flamengo, que foi um jogo ruim sob todos os aspectos. Basta dizer que o Fla ganhou com um gol de pênalti quando o empate parecia inevitável e que o time ainda foi beneficiado pela arbitragem, que não marcou outra penalidade, de Bruno, logo no início (embora, no restante do jogo inteiro, tenha invertido dezenas de faltas para o Botafogo, por conta da pressão do clube durante a semana, após sua escalação para o clássico).

Sobre esse jogo, basta dizer duas coisas:

1) o público, ridículo, foi pequeno, em grande parte, por conta do aumento dos ingressos praticado pela diretoria do Botafogo. Não dá pra dizer "ah, mas 24 mil teriam cabido perfeitamente no Engenhão, que comporta o dobro de gente..."

2) um grande amigo botafoguense, que foi pela primeira vez ao estádio olímpico JH no meio da semana passada, ver o Verón, comprovou o que eu já havia lhe dito - "nem se botar o exército pra tomar conta dá pra fazer um Botafogo x Flamengo no Engenhão".

* * *

Ronaldinho marcou mais um pelo Milan, o quinto desde sua chegada a Milão. Mas não joga no time de Dunga que enfrenta Portugal...

* * *

Eu não quero parecer chato, baba-ovo ou repetitivo, mas neste fim-de-semana, na Itália, Del Piero fez seu terceiro gol seguido de falta. Depois de marcar nas vitórias sobre a Roma, pelo campeonato italiano, e Real Madrid, pela Liga dos Campeões, Ale fez outro golaço contra o Chievo.

Del Piero está na galeria dos maiores batedores de falta que vi jogar, ao lado de seu ídolo Zico e de Roberto Dinamite. E bem à frente de tantos outros que muitos valorizam nessa arte, como Beckham, Neto, Marcelinho...

4 comentários:

Bolinho disse...

brother, não dá pra acreditar que um estadio como o Engenhão não possa receber clássico sabe? Até porque o problema não é lá dentro - garanto! É no caminho, na 24 de Maio e ruas do méier e engenho de dentro. Então é criar esquemas de entrada e saída seguros. ponto.

O hexa segue vivo, 3% é muuito!
abrá

Camilo disse...

Escolheram o Estádio, a arbitragem (nem foi roubado, o cara errou, simples)... seguindo o exemplo "escolar" de outro dia, o Fogo é aquela criança bobona que é esculachada no colégio por colegas, professores e quando chega em casa os pais o ridicularizam mais ainda. Ninguém respeita. É a maior crise de imagem do futebol brasileiro de hoje.

Edu Mendonça disse...

Mas Bolinho, o problema é justamente FORA do estádio. Você já foi ao Engenhão, eu conheço bem aquela área ali. Naquelas ruas, as organizadas de Fla e Bota não têm como serem contidas. Utopia pensar que a PM seria capaz. Aliás, esse foi mais um Fla x Bota que teve gente baleada no dia do jogo, fora do estádio.

E Camilo... quando pagas as cervejas pro Felberg?...

Camilo disse...

apostamos aquele popular "mistão" do Sokana. E mesmo do jeito que foi, ele quer que eu pague, normal, sem problemas. A gente marca. As cervas dividimos todos nós. abraço!