segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

проклято pусско * (ou como Big Phil caiu)

Maldito russo.

Fui eu falar de Abramovic outro dia e eis que ele resolve queimar minha pena horas depois de eu escrever que achava difícil a demissão de Felipão nesse momento.

A parte mais importante do anúncio, no site do clube, é essa:

"Unfortunately the results and performances of the team appeared to be deteriorating at a key time in the season."

O Chelsea, com o empate de sábado, em casa, com o Hull City, ficou a sete pontos do lider Manchester na Premier League. Leia-se: fora da briga pelo título.

As copas inglesas não valem nada para Abramovic. Então resta a Champions, em que o clube de Londres encara a Juventus na primeira rodada do mata-mata. Mesma Juve que volta ao torneio esse ano, depois da punição com rebaixamento; que, envelhecida e dependente dos lampejos geniais de Del Piero e dos gols de Amaury, não tem dinheiro para maiores contratações. É para evitar a catástrofe de ver seu time eliminado por essa Juventus que o russo resolveu agir.

Felipão ainda tinha um ano e meio de contrato e vai receber muito bem por isso. Já disse que continua morando em Londres e não quer saber de trabalho, pelo menos, até o meio do ano.

Agora o assunto da vez deve ser "o porquê dos melhores técnicos brasileiros fracassarem na Europa". Eu fico com a clareza do Cuca, que disse hoje depois do treino que, sendo Felipão, acima de tudo, um grande motivador, não deu certo simplesmente porque não domina a língua inglesa. Não acho isso um detalhe, concordo com Cuca veementemente. Por melhores treinadores que sejam, nossos professores já chegam com pinta de despreparados, pois não falam a língua que todos falam, sejam eles de onde forem - como no caso do plural Chelsea.

Mas não é só. A impresa inglesa, há algum tempo, destaca a falta de padrão de jogo do time. O Chelsea de Mourinho jogava sempre da mesma forma, fossem quais fossem as peças. O Chelsea de Felipão não empolgou ninguém, apesar do início arrasador - seis vitórias e dois empates. Não venceu nenhum clássico. E ainda teve casos e mais casos de insatisfação de jogadores, mais notadamente Joe Cole, queridinho da torcida, e Drogba, outrora goleador do time.

Felipão, que tem no currículo uma Copa do Mundo, duas Libertadores e uma Copa do Brasil, agora vai ouvir alguns afirmando que ele não sabe treinar clubes, apenas seleções. Hmmm... Vale mais uma olhada no seu CV, para relembrar sua lista de empregadores:

CSA, Juventude, Brasil de Pelotas, Al-Shabab, Brasil de Pelotas, Juventude, Grêmio, Goiás, Al Qadisiya, Kuwait, Criciúma, Al-Ahli, Al Qadisiya, Grêmio, Júbilo Iwata, Palmeiras, Cruzeiro e Chelsea.

Até o meio do ano, fim do período sabático de Felipão, a seleção brasileira enfrenta o Equador (f) e o Peru (c), em abril, e Uruguai (f) e Paraguai (c), em junho.

* "maldito russo"

4 comentários:

renato disse...

porra, que foto essa nova do blog! sensacional. linda. revela o espaço a ser preenchido pelo jogo. é a foto do que não está nela.

Edu Mendonça disse...

Um achado mesmo. B-ball, né? Como disse ao Virgílio, se o Google pode, o TB também pode mudar o logo de vez em quando, he he he.

Complicado é lidar com Corel Draw, Excel, planilhas... Não nascemos pra isso, definitivamente.

renato disse...

tá vendo o jogo? o dunga acabou de descer brokeback mountain!

Edu Mendonça disse...

KKKKK... Visual e cabeça iguais ao do caubói interpretado pelo Coringa...