segunda-feira, 23 de março de 2009

SEGUNDA.

Quem fim de semana.

Se em São Paulo faltaram gol de Ronaldo e o primeiro grande solo de Neymar, no Rio sobraram incompetência do poder público, mais uma vez, e cartões, muitos cartões, obra e graça do senhor Luis Antonio Silva Santos.

Admirável é ver, no dia 22 do mês e com o tempo chuvoso, 70 mil pessoas no Maracanã. Que, infelizmente, continua sendo cenário da bandalha generalizada, bem debaixo das barbas da Polícia Militar, da Guarda Municipal e de todo o aparato do choque de ordem do novo prefeito.

Às quatro da tarde, duas horas antes do clássico, todas as bilheterias do estádio informavam que não havia mais arquibancadas. Não me recordo, em quase 30 anos de Maracanã - salvo decisões, quando praticamente todos os ingressos são vendidos antecipadamente - de fato parecido. Muito estranho, pensei. Antes de optar pela cadeira azul, única opção nas bilheterias, fui abordado por um cambista oferecendo arquibancadas a 40 reais (custavam 30). Uma hora mais tarde, o preço já alcançava 60 reais - naquele momento, as filas nas bilheterias eram imensas e muitos ainda as enfrentavam achando que havia estes ingressos.

Mesmo assim, a meia hora do jogo, na reta em frente ao Maracanãzinho, os cerca de dez cambistas que marcavam ponto ali só tinham mesmo ingressos de cadeira. Apenas um, que também abordei, me pediu para esperar dez minutos pois receberia 60 arquibancadas. Em frente à cena, passando algumas vezes por ali, o comandante da PM. Que, como todos de farda no entorno do estádio, continuam fazendo vista grossa para a atuação dos cambistas.

Quando a bola rola, milhares de lugares vagos no setor das arquibancadas brancas e também nas amarelas, de ambos os lados.



Bem, se a carga anunciada para o jogo foi de 68 mil e poucos ingressos, o público pagante anunciado foi de 69.648 e ainda assim havia ingressos e mais ingressos com os cambistas, onde raios caiu o tal choque de ordem no Maracanã? Ordem em quê? Em proibir ambulantes?

* * *

Sobre o jogo, basta dizer que o juíz, de apelido "Índio" conseguiu seu objetivo, distribuindo 17 cartões, 11 amarelos e seis vermelhos, incluindo o do sempre destemperado Cuca, que agora pode acabar suspenso. Apareceu mais que qualquer jogador ou lance da partida, que ficará marcada como aquela da enxurrada de cartões.

O Vasco correu mais que o Flamengo e esteve mais organizado, embora tenha um time fraco demais, sobretudo sem Carlos Alberto em campo. Mereceu vencer porque marcou nas chances que teve, enquanto o Flamengo criou mais e finalizou tão pouco quanto (e pior, claro).

E eu continuo incrédulo de saber que o Josiel ganha 150 mil enquanto o Riquelme, 80.

* * *

Pelé, sempre Pelé. Desta vez o rei insinuou - ok, disse - que Robinho e Ronaldo teriam enfrentado problemas com drogas.

* * *

Essa é mais que inédita - um jogador abrir mão de dinheiro para o clube. Mas Léo, além de santista, sempre teve fama de profissional.

* * *

Ventos fracos , só hoje passando dos 12 nós, dão previsão de que a chegada dos barcos da Volvo seja mesmo ao longo da quarta-feira. Já paralelos à costa brasileira, agora na altura do Rio Grande do Sul, serão recepcionados pela mais atraente estrutura já montada para um evento na Marina da Glória. É uma pena que, por enquanto, a presença do público ainda seja pequena, o que deve aumentar após a chegada dos barcos. Mas uma visita ao espaço, aberto a todos, é obrigatória.

Neste vídeo, um depoimento muito bom de Magnus Olsson, skipper do Ericsson 3, sobre como os membros da equipe - inclusive ele - lidam com o tédio em longos trechos de calmaria, como esse. O barco de Olsson segue na liderança, neste momento 71 milhas náuticas à frente do Ericsson 4, de Torben.

4 comentários:

Bolinho disse...

Como disse ontem, prepara o antidepressivo porque o ano vai ser brabo...

Camilo disse...

Que história é essa de 80 mil reais pro Riquelme? isso é quanto ganha nosso maior salário no Botafogo, o Reinaldo.

e sobre esse camp. carioca: É o fim do futebol. em todos os sentidos, as aspectos. dentro e fora do campo; antes, durante e depois das partidas.

Edu Mendonça disse...

São os dois maiores salários do Boca, Román e Palermo. Cada um ganha 80 mil reais. Menos que o Obina. Metade do Josiel. Um Reinaldo.

Camilo disse...

Eu já tinha lido algo sobre isso, mas pensei q havia um outro contrato melhor pra eles agora.

O Flamengo tem uma folha salarial de 4,1 milhoes? Será que não existe nenhum atacante melhor q o Josiel aceitando 30 mil? Quanto deve custar para o Flamengo por mês o quarteto Bruno, L. Moura, Juan e Ibson? Por que o Fábio Luciano ainda é jogador profissional?

O time de vcs pode até ganhar esse estadual (o pior da história, de longe...), mas a situação está escancarada e muito feia como há muito tempo não se via.