terça-feira, 10 de março de 2009

Juventus x Chelsea - Notas

- Meu primeiro pensamento, quando vi a escalação da Juve, foi "Iaquinta e Trezeguet no ataque e Amauri no banco???". Pois numa tabela fantástica do italiano com o francês me sai um gol espetacular. Assim, com dois adjetivos na mesma jogada. O futebol é mesmo o reino do imponderável.

- Nedved, a poucos jogos do fim da carreira, deixa o campo machucado logo aos doze minutos, antes do gol. Foi um baita jogador, mas nunca o considerei um craque. A (falta de) velocidade e o corpo gritam pelo fim.

- A Juve bota pressão até a metade do primeiro tempo, quando diminui o ritmo. Em campo, do futuro do time de Turim, apenas Marchisio. Giovinco entraria no segundo tempo e mudaria o jogo. Eles, De Ceglie, Cassano - que parece estar fechado para o ano que vem - e Diego - quem sabe? - seriam a base para um novo time.

- Ah, se o Cláudio Ranieri jogasse sempre assim, com dois atacantes, Del Piero chegando do meio, apenas um volante e duas duplas subindo pelas laterais, Grygera e Salihamidzic pela direita, Marchisio e Molinaro pela esquerda... mas isso, claro, seria o anti-calcio.

- Aos 45, cobrança de falta de Drogba na entrada da área. Até agora persiste a dúvida, se a bola entrou ou não. Pouco importou, porque um minuto depois, num chute de Lampard que desviou na zaga e bateu no travessão, encobrindo o goleiro italiano, Essien empatou. Ducha-de-água-fria é pouco. Foi mais um daqueles banhos de Gatorade em comemoração de Superbowl.

- A Juve volta sem empolgação e o Chelsea passa a tocar a bola, até que aos vinte e seis, num contra-ataque, Chielini acaba expulso e tudo muda. Cláudio Ranieri não bota outro defensor e arma uma linha de três zagueiros. Bota Giovindo no lugar de Iaquinta. E Beletti, que estava na barreira, bota as duas mãos na bola na cobrança de Del Piero. Sério. Alessandro cobra fraquinho, fraquinho, logo depois de ver que Cech cairía pro outro canto. Dois a um. "- PVC, vamos apertar o cinto de segurança?", dispara Palomino.

- PVC, a outra metade da dupla, manda pouco depois: "- O técnico da Juventus hoje não é o Ranieri...". Hehehehe, muito bom.

- Como futebol não faz o mínimo sentido, aos 38, quando passava o maior sufoco, o Chelsea empata num contra-ataque, gol de Drogba. Passe de quem? Beletti, claro, que ainda perderia um gol feito no fim por não saber o que fazer com a bola, cara-a-cara com Buffon. Beletti tem cara de maluco. Dizem que é.

- Dois a dois, podia ter sido diferente, mas Del Piero não jogou bem, Amauri ficou a maior parte do jogo no banco e o Ranieri ainda não banca o meu time-perfeito pra esse elenco (Buffon, Grygera, Chielini, Mellberg e De Ceglie; Sissoko, Marchisio, Nedved e Del Piero; Giovinco e Amauri). Mas o Chelsea não me convenceu.

- Números, números... Drogba, com Felipão, fez três gols em 22 jogos. Com Hiddink, fez quatro em seis partidas. Felipão dizia que não escalava o atacante porque ele não estava cem por cento. Com o técnico holandês, ele também não joga na plenitude da forma.

- E o Liverpool, hein? QUATRO A ZERO no Real. o Bayern? SETE A UM no Sporting. Nesta quarta tem United x Inter e Barça e Lyon. THE CHAAAAMPIOOOOOONS!!!!!

4 comentários:

Aparício disse...

Pois é, ontem vendo o Beletti me lembrei de um quadro antigo que apareceu no 'Casseta e Planeta' - quando ainda era engraçado - 'vendendo' um vídeo do jogador e todas as suas trapalhadas com o título 'Isto é Beletti', uma ironia inspirada no filme 'Isto é Pelé'...e ele ainda apronta até hoje.
É uma daquelas apostas para a seleção brasileira que nunca me convenceram, e ontem outro caso foi o do Anderson Polga, que se enrolou todo no jogo do Sporting com o Bayern (um recorde né? Placar agregado de 11 a 2!)

Não sei sua opinião mas curto bastante o futebol do Torres no Liverpool, acho que a Espanha pode ter um bom time pra Copa.

E hoje tem Barça! Messi será para 2010 o mesmo que Romário foi para 1994?

Edu Mendonça disse...

Hehehe... e o mais irônico é que Beletti é certamente um personagem da história do futebol (pergunte a um barcelonista), que jogou em alguns dos maiores clubes do mundo. Vá entender.

Eu acho o Torres um tremendo atacante e a Espanha, como afirmou o Valdano outro dia no Bola da Vez, chega à Copa como favorita sim, no mesmo nível dos pretendentes de sempre. A defesa espanhola é que ainda não me convence totalmente.

E o Messi, enquanto escrevo, rege o Barça naquele que foi, sem dúvida, disparado, o futebol mais bonito mostrado nessas oitavas. Pena que não vamos mais vê-lo ao lado do Riquelme na África do Sul. Pra mim, o melhor do mundo no momento.

Camilo disse...

E que merda essa briguinha do Maradona com o Riquelme. Eu que não tenho nada a ver com isso vou ficar sem ver na Copa o jogador que eu mais gosto de ver jogar. E a Argentina continuará a ser o que sempre foi em Copas: um Vexame.

Edu, fala logo do segundo gol do Gordo. quando ele meter o quinto, a gente começa a tratar de maneira normal esse assunto Ronaldo-gol-peso-....seleçao.... Calma, camilo.

Edu Mendonça disse...

Olha a resposta do técnico da seleção argentina pro caso:

"- Não acho que isso vá acontecer, mas se vier e me disser 'errei' ficaria feliz. Caso as coisas não mudem, seguiremos assim e vamos adiante com o que temos. Estou tranquilo. Eu dou prioridade à seleção. A seleção não é nem Maradona, nem Riquelme, a camisa é maior que nós dois."

O Riquelme é um cracaço, craque com carimbo de craque. Mas tem um quê de Beletti, não tem não?