segunda-feira, 9 de março de 2009

Braço Torcido.

Trinta e um minutos. Quatro a mais do que no retorno, contra o Itumbiara. Entre os dois jogos, nenhum treino realmente sério, apenas descanso.

Mas quanta diferença.

Ronaldo participou, efetivamente, de cinco lances no derby paulista. Não chega a ser pouco para um atacante. Tomou um sarrafo criminoso de Pierre, num lance em que o juiz sequer marcou falta. Deu um drible de efeito num marcador. Mandou uma bola no travessão em uma pancada de fora da área. Fez ainda uma linda jogada pela esquerda, levando a marcação, em que deu o passe para o que quase foi o gol de empate do Corinthians, que perdia por um a zero. Isso, até a cabeçada oportunista, aos 47 do segundo tempo, numa falha do goleiro Bruno e, principalmente, de Marcão (que desde a cobrança de escanteio de Douglas só olha para a bola, deixando Ronaldo livre às suas costas!).

Cada um desses cinco lances foi vital para que o Corinthians conseguisse o empate. Isso porque, num jogo feio de doer, o time parecia completamente sem forças para lutar, depois de o Palmeiras ter perdido pelo menos duas chances claras de selar a vitória. Foi a entrada de Ronaldo que mudou o panorama do jogo. Da falta não marcada que irritou a Fiel ao balaço na trave que a incendiou, Ronaldo foi fenomenal em cada vez que tocou na bola - mesmo ainda gordo, com pouca movimentação e ritmo de jogo.

Eu acabei assistindo ao gol pela Bandeirantes, com a emocionante e emocionada narração do Luciano do Vale. Mas acredito que tenha sido assim para cada narrador, cada repórter, cada torcedor que presenciou aquele momento. Da improvável cabeçada ao susto de vê-lo pendurado no alambrado - que caiu depois que ele já havia descido - tudo teve um quê de mágico, como a própria carreira de Ronaldo.

* * *

Eu, por exemplo, jamais vou esquecer do sentimento daquele 30 de junho de 2002, quando o jovem de cabelo à la Cascão marcou duas vezes para dar ao Brasil o pentacampeonato mundial e a mim, a chance de sair no meio de um carnaval pelos corredores do IBC de Seul, tirando onda com alemães, argentinos, ingleses e quem mais ousasse duvidar da capacidade de recuperação do artilheiro da Copa, que quatro anos mais tarde se tornaria o artilheiro de todas as Copas.

Assim como não esqueço-me, também, do vôo para Mar del Plata, muitos meses antes, rumo a um Sul-Americano de natação. Meus olhos corriam pelas fotos e notícias de O Globo, um dia depois da contusão, ainda jogando pela Inter de Milão. A imagem da dor, na famosa foto em que o joelho de Ronaldo sai de esquadro. Ali, eu duvidei de que fosse possível seu retorno.

Por isso, não duvido mais.

E, apesar de não achá-lo um exemplo de profissional e ter muitas restrições ao próprio homem, não posso deixar de admitir minha felicidade em vê-lo novamente jogando.

* * *

No entanto... fico contente que ele esteja no Corinthians. Aliás, hoje me parece bem claro porque Ronaldo sequer começou a conversar com o Flamengo sobre seu retorno (Basta abrir quaquer jornal ou digitar no Google "Flamengo salários atrasados".

Os dirigentes do time paulista seguem acreditando que foi bom negócio. Claro, fotos e imagens de Ronaldo com a camisa do clube ainda correm o mundo. Mais felizez que os cartolas do Parque São Jorge, só mesmo os executivos dos cartões VISA, para quem os 500 mil pagos pela propaganda na camisa somente para o clássico de ontem, hoje parecem uma verdadeira ninharia, como informa Emerson Gonçalvez no ECE.

Mas eu, agora pensando friamente, sigo com minha opinião.

Ronaldo pode até voltar à boa forma, pode até voltar a balançar as redes mais vezes. Aliás, como vinha fazendo no Milan, antes da segunda gravíssima contusão (quinze jogos, nove gols, o que seria nada mal se, no mesmo período, o time italiano não tivesse jogado nada menos que 55 vezes). Assim como no Mian, acredito que ela vá sofrer com as pequenas contusões. E vá voltar a cometer deslizes extra-campo.

Ou não. Afinal, eu sou só um jornalista.

E ele é Ronaldo, o Fenômeno. Que não se cansa de surpreender a mim e a todos.

7 comentários:

Virgílio Dias disse...

Gostei da entrevista do Mano Menezes no vestiário:
"Quem gosta de futebol se emocionou"
É por aí mesmo.

Camilo disse...

é isso mesmo, virgílio. quem gosta de futebol gostou do que viu.

e eu já nem sei o que achar sobre isso tudo. aliás, ronaldo virou papo de maluco na nossa imprensa. a atuaçao de ontem do gordo nao faz sentido. to indo agora ligar a tv pra ver o galvao babando de novo seu filho vivo mais querido.


ah, e a narraçao do escroto Milton Leite foi brilhante.

Edu Mendonça disse...

Pô, cara, esquece os ensinamentos brilhantes que o Ronaldo pode dar no programa do Galvão e liga no Linha de Passe.

Trajano, Juca, PVC, todos concordaram e foram lúcidos em suas análises: o que Ronaldo fez ontem foi, nada menos, brilhante.

O que ontem significa para o futuro dele como jogador, além de confiança? Nada, absolutamente nada.

Como acaba de dizer o PVC, desde 2004 Ronaldo não joga mais do que 5 jogos seguidos. E isso foi antes da segunda gravíssima contusão de joelho.

Camilo disse...

o bem, amigos! foi um festival de egos. o RM Prado fazendo perguntas de 4 minutos, o "Marquinho" Mora vomitando um monte de "informaçoes' pelo auto-falante do estúdio, o PC fingindo saber (nao saba nenhum!) algum samba do Moacyr Luz. e o Galvao sendo muito Galvão Bueno.

Zapeava no Trajano e via um PVC (acho bom demais) meio puto em dar os protocolares méritos ao Ronaldo na partida. mas a mesa era boa e as discussoes tb.

mudando um pouquinho de assunto: acho sinceramente que esse time de merda do Botafogo vai levar a Taça Rio tb.

Edu Mendonça disse...

Sentaram o pau na Globo. Afinal, o Ronaldo quase não falou depois do jogo e, no entanto, deu exclusiva pro Mauro Naves, entrou no Faustão, foi ao Bem Amigos.

Essa promiscuidade é muito parecida com a que reinava na seleção em 2006, quando perdemos a Copa de maneira pífia, por conta da falta de profissionalismo geral naquele grupo - jogadores, comissão e dirigentes.

A quem interessa isso? Ao Ronaldo?

Certamente não ao jornalismo.

Aparício disse...

Acho que se espaçar as atuações do Ronaldo por enquanto - fazendo eco ao PVC - dá pra ele fazer ótimas atuações.

Escrevo nesse momento e o Drogba empata sobre a Juve...

Edu Mendonça disse...

Seja bem-vindo, camarada.

É a única forma. Mas, no futebol brasileiro, já tinha um monte de gente pedindo que ele comece jogando contra o São Caetano depois do gol de domingo... O Corinthians deveria preservar Ronaldo para gramados e adversários bons.

E não deu mesmo pra Juve...