quinta-feira, 25 de junho de 2009

Dez coisas que me irritam em noventa minutos desta seleção brasileira:

1 - O Galvão. Ok, ele não é da seleção, mas às vezes parece. O Felipe Mello em campo, então. Não me conformo mesmo.

2 - A transformação do lateral esquerdo num quase terceiro zagueiro promovida pelo Dunga. Não é nosso futebol que está sem talento pra posição. É a exigência do técnico em ter um jogador de marcação por ali, pra liberar Maicon ou Daniel Alves pela direita, que castra nosso lateral canhoto. O destro sobe sempre. Mesmo quando o jogo está do lado esquerdo, ele fica além da linha de meio-campo esperando a virada de bola. Pra que suba sempre, Dunga prende o lateral esquerdo, seja ele quem for.

Sabem como é, Gilberto Silva e Felipe Mello saem muito pro jogo, só pensam em atacar, a defesa fica desprotegida...

3 - Zagueiros que marcam a bola. Lúcio e Luisão têm na experiência sua maior (única, hoje?) qualidade. Mas ainda não aprenderam que zagueiro marca o atacante, não a bola. A África do Sul acaba de perder um gol na pequena área com nossa dupla de zaga olhando a bola chegar livre pra cabeçada do zagueirão sul-africano. Que nem era o branco-azedo gigante, e sim o negro, mais baixo. Thiago Silva está vendo o jogo pela TV, como eu.

4 - A dificuldade, quase incapacidade que esse time tem de jogar contra adversários fechados. Sempre foi assim com a seleção brasileira. Times retrancados, não essa dificuldade. Não lembro da geração de Leandro, Júnior, Falcão, Sócrates, Zico e Reinaldo enfrentando times abertos. Eram retrancas iguais às de hoje. Os nomes é que são diferentes. Hoje temos Gilberto Silva e Felipe Mello no meio-campo. Acho que já falei deles.

5 - A falta de cancha do Dunga como técnico, até porque ele não é, está aprendendo a ser. Dunga não sabe mexer no time durante a partida. Nem na estrutura, nem nas substituições. Bota reservas em campo faltando cinco minutos pro fim, nas mais diferentes situações - já fez isso vencendo de muito, empatando sob vaias e perdendo. Técnico mesmo não faz isso, ainda mais numa seleção brasileira, é algo que jogador detesta, com razão. Dunga também nunca mexe no time no intervalo, mesmo que ele esteja jogando pessimamente. Como hoje.

6 - A indolência tática de nossos atacantes. Nessa eu vou dar uma colher-de-chá pro técnico, porque eu suponho que o Dunga peça a Robinho e Luis Fabiano que pressionem a saída de bola do adversário. Hoje, pra quem é malandro, essa é uma das principais armas do futebol, roubar a bola já próximo ao gol. Que o digam Barcelona e Manchester, mestres nessa arte (outro é o Arsenal). Diante de uma defesa rápida mas sem nenhum jogo de cintura, nossos atacantes em momento algum se empenharam realmente em dificultar a saída de bola sul-africana, só fizeram sombra.

E eu acabo de ouvir a frase "Felipe Mello hoje não está tão bem como nos outros jogos". Meu Deus. No segundo seguinte, Júlio César faz um milagre. A África do Sul dá calor no Brasil já há alguns bons minutos.

7 - As bordoadas. E elas ocorrem aos borbotões. Luisão. Lúcio. Felipe Mello. Todos baixam o sarrafo sem constrangimento. E, nessas horas, me parece inegável que os juízes olham pra camisa antes de puxar o cartão. Mesmo assim, Luisão e Felipe já tomaram os seus.

8 - Gilberto Silva. Que foi um baita jogador. Foi. Fez parte de um time do Arsenal que entrou pra história. Fez. Que foi campeão do mundo. Foi, há sete anos. Hoje, dá pena vê-lo se arrastar em campo com aquelas pernas compridas que antigamente eram responsáveis por uma passada irresistível. Gilberto não vinha agradando nem no Panathinaikos, como me informam meus contatos gregos.

E agora, aos 35 do segundo tempo, Dunga mandou Daniel Alvez pro aquecimento. Pra entrar na esquerda, torto, no lugar do André Santos. Isso que é confiar no seu titular da posição. E no seu reserva, que está no banco...

9 - A sorte do Dunga. Minutos depois de entrar, Daniel Alves fez de falta. Largo até quando erra. Afinal, como disse o Falcão, "ele bateria do mesmo jeito se tivesse entrado no lugar do Ramires". Sacanagem com os sul-africanos. Mas futebol é assim e eles jogaram de igual para igual, vão fazer festa do mesmo jeito por terem perdido por um a zero pro Brasil.

10 - A pequenez do estilo Dunga. Fez duas substituições nos dois minutos finais, pra parar o jogo. Deve achar isso cancha, malandragem. Eu acho indigno do Brasil. Mas é isso, tempos difíceis pra se torcer e apreciar jogo da seleção.

14 comentários:

Aparício disse...

A impressão que dá é que é bem fácil perceber as falhas da Seleção Dunga, se alguma seleção tiver time suficientemente técnico bate a gente...
Mas o que mais me impressiona é que a Seleção virou um time de contra-ataque, sempre se defendendo e depois partindo num possível erro adversário. Antigamente era o contrário.
Estou gostando da África do Sul guardadas as devidas proporções.

Edu Mendonça disse...

Cara, o Joel não é bobo. Ele pode não saber muito bem como fazer os sul-africanos jogarem bola (embora até estejam muito bem hoje mesmo). Mas sabe perfeitamente os defeitos que essa seleção do Dunga tem. Eu sei, você sabe, todo mundo sabe.

O Brasil hoje é um super-goleiro com lampejos de caras como Kaká, Fabiano e, às vezes, Robinho.

E isso, pra mim, é uma mudança de cultura dura de se ver. Porque sempre fomos nós os temidos, os que encurralavam o adversário na defesa. Uma boa comparação é o Flamengo, que sempre joga pra frente, seja com um time (nosso) bom ou ruim. O Brasil tá deixando de ser Brasil, de novo. Quem mandou botar um cabeça-de-área botinudo no comando?

Botinudo sim.

Aparício disse...

E talvez de início esses jogadores africanos devem ficar até surpresos, porque dá pra ver que eles respeitam os jogadores brasileiros, como o Kaká. Hoje em dia a gente só tem a mística da camisa mesmo. Mas pelo jeito isso está se diluindo cada vez mais.

Quem é Luís Fabiano? Felipe Melo?

E o próximo a ser queimado pelo Dunga e pela imprensa é o Ramires, hein?

Edu Mendonça disse...

A imprensa agora somos todos nós.

Aparício disse...

É verdade o que você disse.
Daniel Alves, à la Barcelona.

Net Esportes disse...

he he !!! a sorte de Dunga é osso mesmo, e olha que faz tempo que ta com ele, desde Copa América e nas Eliminatórias tb ........

O Gilberto Silva é piada, outro dia mesmo anunciou "Substituição no Brasil, sai Gilberto Silva e entra...." eu olhei e falei: mas o Gilberto Silva tava no jogo ????? :o eu nem tinha ouvido falar o nome dele ..... hahahah

Agora o Galvão é o pior mesmo, não sei como alguém aguenta ... o pior é que o Cleber Machado ta ficando igualzinho .... ô trizteza

Edu Mendonça disse...

Rapaz, que coisa... hoje mesmo eu fui ouvinte passivo de uma meia hora do Arena, enquanto arrumava umas coisas em casa, longe da tv. Ele é pior que o Galvão.

Blog do Tavares disse...

Edu, concordo em tudo que vc falou.

Vi em outro blog que agora a Seleção tem padrão de jogo. Até tem mesmo, mas é um padrão de jogo amarrado e que quando topa com a primeira defesa mais bem organizada, leva pau.

Nossos volantes eu já disse, são na realidade zagueiros mais adiantados.

Belo post.

Abraços.

renato disse...

boa sacada do falcão. essa seleção é um saco. e o fla-flu? a preleção no flu vai ser do thiago neves. uau. o time deve entrar aceso diante de tamanho exemplo de raça e dedicação.

Edu Mendonça disse...

Ele disse isso, é? Hehe.

Eu acho que, diante do título do basquete, que encheu a cidade do sentimento rubro-negro, a goleada logo mais no Maracanã é inevitável. Além do quê, me parece que os jogadores do Flu querem mais que o Parreira caia logo do que os do Fla com relação ao Cuca.

Camilo Pinheiro Machado disse...

Eu colocaria o Thiago Silva com a camisa 5, de primeiro volante.

Edu Mendonça disse...

O problema do Thiago Silva é a maracutaia Milan-Flu-Tombense, que vai parar na FIFA e pode deixar o moleque ainda mais tempo sem jogar. Mas ele é melhor que todos os zagueiros e volantes do Dunga juntos. Quer saber? Parei com seleção. Seleção, pra mim, tem a ver com jogo bonito, espetáculo, não apenas com vencer. Vencer é pro meu time, aí sim, tanto faz se jogando bem ou mal, desde que com raça. Vamos ter Dunga mesmo na Copa e vamos ganhar ou perder esse mundial do jeito horroroso como temos visto.

Renatinho: o Fla-Flu de ontem foi o pior jogo de futebol que vi esse ano. Só valeu por concluir que as torcidas do Rio não vão mesmo mais ao estádio quando o jogo é contra o Flamengo, impressionante.

renato disse...

é. o rio está caminhando para ser de um time só. é uma das principais causa - ou consequências? - da falta de imaginação que assola a cidade. mas se é essa a vontade do rio, foda-se ele. sobre a seleção, acho exatamente o que você acha. quem tem que ganhar de qualquer maneira, feia ou bonita, é o meu time. a seleção tem que jogar bonito. é a vocação dela. quando não joga bonito, está desperdiçando a vocação. o que é sempre triste.

Edu Mendonça disse...

Hehehe... É sempre bom um "foda-se" desses, que saem da alma.

Mas eu nem concordo, Renatinho. Eu acho que os últimos dois anos serviram pra que a torcida do Flamengo resgatasse a mística do Maracanã. Da arrancada no Brasileiro de 2007 à boa campanha de 2008, passando pelo tri do me-engana-que-eu-gosto, muitos readquiriram o hábito do domingo de Maracanã - todo domingo, no caso. Eu, que assisto sempre no mesmo canto da arquibancada, vejo os mesmos rostos e ainda cada vez mais crianças e mulheres. Pena que isso tudo possa ser quebrado pela reforma do estádio pr Copa. Sábado que vem, vou de trem pro Engenhão, fazer...

É preciso a centelha que acenda a chama. Thiago Neves nunca foi. E Fred, sozinho, não é. Há muito eu não via um Flu tão sem vontade como ontem. Isso reflete nas arquibancadas.