quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Caixinha de surpresas.

Quem diria que, depois daquele jogo insosso contra a Argentina - apesar da vitória - a seleção brasileira me surpreenderia tão positivamente diante do Chile, já classificada, cheia de reservas, e jogando debaixo de chuva.

Não só a seleção, mas, principalmente, Dunga.

Quem ganha tempo lendo o Tudo Bola já sabe - eu não aprecio o ténico Carlos Caetano Bledorn Verri, assim como não apreciava o volante. Com a bola nos pés ou a prancheta na mão, seu estilo truculento e pouco cerebral jamais me cativou.

Só que ontem, para minha surpresa, Dunga nem parecia Dunga. Talvez pelo fato de já ter garantido a classificação, talvez pela necessidade apenas, ele se permitiu ousar, arriscar. E a primeira boa surpresa veio na escalação, com Dani Alves no lugar de Elano. Há tempos estava claro que temos, hoje, os dois melhores laterais direitos do mundo (bem que um deles poderia ser canhoto...). Jogando juntos, Maicon e Daniel empurraram o time o tempo todo para frente, com perfeito entrosamento, como se tivessem jogado juntos, dessa forma, a vida toda. Quando Maicon se lançava, Daniel ficava ali pelo meio. Quando este subia ou caía até pela esquerda, lá estava Maicon, guardando a posição. E foi assim que participaram dos quatro gols do Brasil, numa demonstração clara de que esta pode ser uma alternativa interessantíssima para que ambos possam jogar juntos - sempre.

Dunga foi além da escalação. Mexeu bem, muito bem no time, depois da expulsão de Felipe Melo. Tirou André Santos e Adriano, que estavam mal, puxou Daniel para a lateral esquerda, botou Sandro pra fechar o meio e Tardelli para aumentar a velocidade do contra-ataque. Deu tudo certo. O time ficou arrumado em campo, fez mais dois e ele ainda mexeu novamente, tirando o então já apagado Júlio Baptista para botar Elano. Nem pareceu que jogamos quase todo o segundo tempo com um a menos.

Torço para que Dunga veja e reveja várias vezes a partida de ontem. Talvez perceba muita coisa que pode ser decisiva para que este time brilhe na África do Sul, no ano que vem:

Felipe Melo não pode ser titular da seleção brasileira. Do toque irresponsável de calcanhar no primeiro tempo à sua falta de urgência para voltar neste mesmo lance, passando pelas bordoadas, pelo pênalti infantil e pela expulsão merecida, tudo que se viu ontem em campo foi o verdadeiro Felipe Melo, aquele que qualquer torcedor de arquibancada do Maracanã até hoje se pergunta como pode ter enganado tanta gente - Dunga, Juventus, crônicos esportivos... Que a suspensão dele abra vaga para novos nomes, como Lucas, ou novas idéias, como Elano na posição de segundo volante.

André Santos não é a solução para a lateral esquerda. Até acho que, diante da atual safra, ele pode estar no grupo. Mas pelas deficiências na marcação e inconstância de suas atuações, valeria muito testar outras opções nos dois jogos restantes.

Júlio Baptista é banco. É banco na seleção, foi banco no Real, é banco na Roma, vai ser banco sempre. Entrando no meio do jogo, até por suas características, pode ser ótima opção - até porque, sabe jogar bola. Mas não tem cabeça, foco, concentração e regularidade para ser titular, nem na seleção, nem em clube, como o tempo continua a nos mostrar.

Nilmar é nome certo para a Copa, mas deveria mesmo é ser nome certo no time. Há tempos está jogando muito mais que Robinho. E ao lado de Kaká e Luis Fabiano, certamente renderia ainda mais.

Adriano ainda está lento e fora de ritmo, mesmo que esteja em melhor forma. No lance do gol, subiu crente de que alcançaria o cruzamento de Dani Alves, apenas para ver Nilmar, muito mais veloz, chegar na bola depois dele e dar um acrobático toque para o gol. Outro detalhe que os replays deste lance mostram é que Nilmar pediu a bola na frente para Daniel, que viu o sinal com a mão e deu o passe preciso.

Não custa sonhar com um time que jogue com Júlio, Maicon, Lúcio, Thiago Silva e Fábio Aurélio; Lucas, Elano, Dani Alves e Kaká; Luis Fabiano e Nilmar. No banco, opções como Juan, Diego, Robinho...

Corri do trabalho para casa para assistir ao segundo tempo de Paraguai x Argentina. Corri à toa. Em vez da pressão do time de Maradona, que perdia, o que vi foi uma das piores atuações de uma seleção argentina. Não houve abafa algum, simplesmente porque o time, de tão desorganizado, não conseguia fazer a bola chegar ao ataque.

Bielsa, que está a três pontos da Copa com o Chile, deve estar rindo à toa.

Enquanto isso, os outros quarenta milhões de argentinos temem pela classificação. E não só eles - uma Copa sem Messi e Cristiano Ronaldo será, no mínimo, menos lúdica.

8 comentários:

renato disse...

não vi o jogo ontem. vi agora, lendo seu belo texto. e concordo com tudo.

o maradona de técnico é uma invenção imatura e anacrônica dos argentinos, que ainda acreditam em catimba, malandragem, "bamos bamos" etc. pena. gosto dele. alguém que incomoda tanto deve ter suas qualidades. e gosto principalmente do futebol argentino. uma copa sem ele perde um pouco da graça.

pulando pra outro gênio. leu o perfil do cruyff na four-four-two? se não leu, lerá. mas adianto algumas frases dele:

"quando você vir um jogador correndo muito rápido, é porque ele demorou para correr."

"a itália não vence ninguém, mas você pode perder pra ela."

"este é o jeito que as pessoas sempre fizeram. mas fizeram errado."

Camilo disse...

Foi a partida mais divertida e movimentada da seleçao nas eliminatórias.

Concordo muito sobre o andré santos, péssimo marcador.

E o Nilmar nao pode ser reserva do reserva do M. City.

Nilmar acertou 95% das jogadas que tentou, marcou a saída de bola adversária como poucos (segundo gol) e mostrou que sabe fazer gol de artilheiro.

Adriano deve ser o quarto atacante do Dunga, mesmo sem condiçoes físicas. É o cara pesadão que ele quer ter no banco.

E outra: o Valdívia é reserva daquele time como?

Aparício disse...

O jogo de ontem foi muito bom, um Dunga completamente diferente...e sem dúvida Nilmar no lugar do Robinho, que visivelmente tem perdido a qualidade, e sinceramente, nunca achei que ele rendesse tanto.

A melhor definição do quanto está mal a Argentina é o isolamento do Messi na frente, a bola não chega nele, e sozinho não vai dar certo...uma pena, sempre gostei de ver a Argentina e sua força coletiva em campo.

Então Brasil e Paraguai, já classificados. Eu sinceramente gostaria da volta da celeste uruguaia à Copa, e aposto também no Chile e na Argentina, ainda que na repescagem. Não sei se a Venezuela, Equador e Colômbia tem força pra chegar lá, mas nunca se sabe...

Aparício disse...

Ah e a Inglaterra hein?!? Não sei você, mas gosto bastante do time, acho que dá pelo menos pra brigar na Copa. O que você tem achado das Eliminatórias da Europa?

Bolinho disse...

Rapaz, vou estar em Buenos Aires no dia de Argentina e Peru, e torço para sobrarem ingressos, pois vaiser um jogo imperdível - olha o duplo sentido ãh, ãh - para a Argentina!
abraço

Edu Mendonça disse...

Pô, o boteco ficou animado na hora do almoço e eu trabalhando...

Aliás, foi por voltar à essa supervalorizada rotina de acordar-trabalhar-e-dormir que eu não vi a Inglaterra, Luciano, e pouco tenho visto do que não acontece à noite. Assisti a meio tempo da França contra a Romênia e achei um lixo - não à toa, o Henry disse depois que o time não sabe o que fazer em campo. Eu gosto dessa Inglaterra com Lennon pela direita e Writh-Phillips pela esquerda. Fora Gerard, Lampard, Rooney.

Meu irmão, Peru é mole (sem trocadilho). Eu quero ver é como estarão na tabela Argentina e Uruguai na ÚLTIMA rodada, quando se enfrentam em Montevidéu, hehehe...

Não acho que o Dunga barre o Robinho nem por decreto, Camilo. E digo mais: Nilmar e Diego só irão à Copa porque terão jogado TANTO até lá, que será impossível não convocá-los. Você já viu o Diego na Juve?

Renatin, lembrei de ti lendo o perfil. Cruijff é ídolo, sempre foi titular do meu time de botão (Pfaff, Jorginho, Pagão, Figueroa e Edinho; Falcão, Cruijff, Rummenigge e Zico; Tita e Sabella. Tita tem explicação: era um botão do Inter, que ele defendia na época, ótimo para encobrir os goleiros). A FFT tá ainda melhor, passou a usar, na edição daqui, matérias da edição do mês inglesa. A tradução é que às vezes escorrega e perde aquele humor sutil deles.

By the way, a última frase do Cruijff eu tenho usado muito ultimamente...

vrigilio dias disse...

camilo, tive a oportunidade de estar em Pituaçu e os jornalistas chilenos não gostam do Valdívia. O nível do futebol brasileiro está baixo mesmo...


Edu, não acredito em Thiago Silva. Infelizmente. Torço para o Juan melhorar fisicamente. Diego está numa boa fase. Desiquilibrando na Juve.

Edu Mendonça disse...

Não acredita nele ou que Dunga o chame?