sábado, 13 de novembro de 2010

Nada Faz, Realmente, Sentido (Ou A Paixão Cega)

Não é passível de análise lógica o futebol.

É tal qual tentar explicar a paixão.

Hoje, Cuca, revoltado após a derrota com aquele pênalti para o Corinthians, afirmou categoricamente que houve má fé na marcação do lance. Para revelar, segundos depois, que votou em Sandro Meira Ricci para melhor árbitro do campeonato. Disse, ainda, que se pudesse, voltava atrás e mudava o voto.

Na tv, um comentarista afirmava serem "estranhíssimos" os inúmeros pênaltis marcados a favor do Corinthians no Pacaembu. Pediu, até, para que se alguém em casa soubesse a explicação, mandasse para ele.

Em Minas, depois de tomar uma goleada humilhante - sem jogar absolutamente nada - Luxemburgo, com toda sua pose, disse que "com todo respeito ao Guanari" o próximo jogo é para o Flamengo ganhar, "seja pra não cair, seja na disputa do título."

Hein?

Hora e meia antes, Obina tinha aberto o placar e, como virou quase regra, não comemorou o gol. Só que, em se tratando do folclórico Peu-2000, nada jamais é demais. Pediu desculpas pelo gol, numa imagem clara e quase inacreditável. Se não fosse Obina.

Mas é claro que há quem o supere.

Zezé Perrela afirmou que "o Andrés nao comprou o juiz, mas alguém, com certeza, fez isso por ele."

Andrés, por sua vez, se saiu com esta: "No futebol não existe ninguém sem prejuízo. Existem coisas piores no futebol do que um pênalti bem ou mal marcado."

Hã?

E tudo isso, no mesmo dia em que o Juca me releva, em seu blog, que em entrevista com o Tite, o técnico revelou já ter treinado uma equipe que venceu um jogo porque o adversário havia sido "ordenado" a perder para prejudicar seu principal rival. Como esperado, jurou nem sob tortura revelar nomes.

E até o Juca, quem diria, exagerou em sua paixão. O texto sobre o choro de Cuca (atenção botafoguenses: o termo foi dele) foi tão torcedor ao afirmar com convicção absoluta o pênalti que deve ter feito Renato Maurício Prado corar de vergonha em sua rubro-negrice.

São incríveis o futebol e todas as figuras que vivem dele.

8 comentários:

Anônimo disse...

Caraca...qse cai no chão lendo o post. Primeiro achei muita graça, depois senti até pena...
Espera-se mais de treinadores, dirigentes e até alguns jornalistas... mas sempre caímos de cara no chão...

Edu Mendonça disse...

É.

E como a educação no país, de modo geral, não melhora, no esporte não será diferente. Continuaremos tendo pensamentos limitados, conceitos tortos e gente não-profissional no meio.

Mas como o esporte mexe com a paixão de forma que nem mesmo música ou cultura conseguem (se tivesse que escolher um mundo sem Flamengo, Ramones ou Machado de Assis, não pensaria duas vezes), a gente passa por cima do desencanto e segue comprando ingresso. Porque o esporte, em si, é duca. Mesmo com certas figuras.

Thiago disse...

Não é um meio muito sério, concorda? rs.. abs!

Edu Mendonça disse...

Mas devia ser, porque mexe com tanta coisa - principalmente dinheiro e paixão.

Guilherme disse...

Tudo bem, mas como vai ser sério com tanto dinheiro e paixão envolvidos? Não é possível.

Bolinho disse...

Eu confesso, com toda minha "admiração" que você conhece pelos pontos corridos, que estou achando muita, mas muita graça deste final de campeonato.
Ver o jogo Domingo juntos!
adeeeeeeeeeus

Edu Mendonça disse...

Pois é, Guilherme. Não dá mesmo. É como acreditar que a disputa do carnaval seja séria...

Bora geral juntos domingo?

Net Esportes disse...

A verdade porém é que depois desse jogo não houve mais nenhum absurdo como pênaltis inexistentes e o Fluminense foi campeão de forma justa.

Net Esportes virou livro, confiram em:

Livro Net Esportes