sábado, 10 de outubro de 2009

Deus é Rubro-Negro

Eu parecia estar adivinhando. Desde a primeira acelerada, torci o nariz. Mas tinha perdido a hora, estava atrasado, e acabei recorrendo a um táxi para ir ao Maracanã. Ignorando a pista molhada, a chuva e o trânsito lento da Lagoa, o motorista cortava de uma pista para outra, fechava, freava em cima, acelerava parado.

Quando enfim foi capaz de acelerar, já no Rebouças, eis que o carro apaga, como num daqueles episódios de abdução em Arquivo X. Painel, rádio e motor, tudo para de funcionar. E, lentamente, bem no meio da primeira galeria do túbel, ele para. Sem pisca alerta, sem sinal da bateria a cada enervante virada de chave do motorista, visivelmente em estado de semi-pânico. Concluo que deve ter começado a dirigir táxi ontem. Saio pra empurrar o Santana velho, mas esqueço que estou no sentido ZN, e nem consigo fazer o carro se mexer, graças à inclinação da pista. "Eu não mereço".

Imediatamente um carro para à nossa frente e liga o pisca. Mas ninguém sai do carro. Eu, que ainda estava do lado de fora do táxi, vejo uma mão me chamar. Era um rubro-negro me oferecendo carona. Deixo dez reais com o taxista e sigo confiante para o Maracanã.

"Deus é Rubro-Negro. Hoje é nosso."


Brigar por uma vaga na Libertadores é uma realidade para um clube que, mesmo sem planejamento, faz novamente boa campanha. O Flamengo entrou com moral no campeonato, viu essa moral ir embora rapidamente, passou por forte turbulência e encontrou, num antigo maestro, seu caminho. O maior mérito do Fla de Andrade é recuperar o clássico 4-3-3, fazendo a equipe jogar sempre para frente. Além disso, o Tromba tem moral suficiente na Gávea para substituir o sempre desinteressado Juan no intervalo e sacar Dênis Marques mais uma vez.

Sem Everton (fratura) e talvez também Álvaro (joelho) até o fim do campeonato, Andrade e o time têm sua missão bastante dificultada. Hora de saber quem pode e quem não tem condições de permanecer no clube no ano que vem.

Se eu bem conheço a mente de Andrade, o Oséas genérico começa no banco contra o Palmeiras. E Juan vai ter que correr bem mais que hoje.Histórico o Argentina x Peru de hoje. Torço pra que meu irmão Bolinho tenha conseguido ingresso e presenciado.

A Argentina vai à Copa.

E Maradona, terminadas as eliminatórias, faria um bem imenso ao país se elegantemente deixasse o cargo.

Mas entender a mente deste é algo bem mais complicado.

6 comentários:

MGABRIELL disse...

argentinos e uruguaios se enfrentando na última rodada... não sei não, Argentina ainda a perigo!! Pode qacabar na repescagem.

Edu Mendonça disse...

Ou nem isso, se perder e o Equador vencer o Chile... mas para o bem da Copa, isso não vai acontecer.

Aparício disse...

Me preocupei que ontem o Adriano se machucou naquela pelada do Brasil na Bolívia, ele é uma figura chave...e o Zé Roberto tá jogando muito!
Cara esse jogo da Argentina foi dramático demais, e mais uma vez ficou aquela impressão de time mal armado pelo Maradona, inseguro...que falta faz o Riquelme.
Essa imagem do Maradona comemorando definitivamente já concorre a uma das imagens do ano.

Camilo disse...

se o árbitro anula aquele gol do Palermo, aconteceria um assassinato televisionado.

e o Flamengo precisa ganhar fora de casa pra ir à Libertadores, Edu.

Edu Mendonça disse...

Quarta vai ter sangue em campo, vai ser bom.

Sobre o Fla, vamos vencer duas seguidas fora de casa, as duas próximas...

Bolinho disse...

não tinha mais ingresso, mas ver em um boteco, com neguinho se abraçando chorando depois do gol do Palerma foi engraçado...